Análise | Dragon Ball Z Kakarot traz mecânica equilibrada, fidelidade ao anime e impressiona pela narrativa

Postado em

Categoria: Artigos, Games, Review

Compartilhe:

Dragon Ball Z: Kakarot + A New Power Awakens Set chegou em sua versão mais completa ao Nintendo Switch, confira tudo que achamos do game.

Dragon Ball Z Recontado

Considerado uma das maiores obras no cenário dos animes, Dragon Ball Z conquistou, e ainda conquista, uma legião de fãs que se encantam pelos personagens icônicos bem como pelos temas humanos contados ao longo dos episódios. Assuntos como família, morte, luto, poder, conquista, dominação e redenção são constantes e mostram os dramas que os habitantes do planeta Terra vivem revelando uma unicidade dessa espécie que está sempre em constante conflito.

Lançado no final dos anos 80, o anime ganhou fama e consolidação durante a década de 90 sendo exibido em mais de oitenta países incluindo o Brasil que aceitou a produção com o mesmo entusiasmo de outros lugares do mundo fazendo do protagonista Goku um personagem atemporal. Os episódios apresentados em território nacional ajudaram a firmar a cultura asiática no país e permitiu a entrada de novos animes e o aumento do número de fãs desse tipo de cultura. É possível afirmar com segurança que, hoje, o Brasil é uma país adepto da cultura pop japonesa consumindo diferentes produções, mangás e vídeo games da terra do sol nascente muito por conta do impacto que Dragon Ball Z exerceu como porta de entrada.

O sucesso do anime não se restringiu somente aos episódios e, muito rapidamente, toda uma campanha de marketing foi fortemente montada para divulgar as aventuras de Goku e sua turma nas mais variadas formas, o que incluiu brinquedos, filmes no cinema, roupas e toda uma série de produtos que ainda são comercializados. Seguindo essa tendência, o setor dos jogos eletrônicos viu na saga dos guerreiros da Terra uma oportunidade para expandir a história e contar outros fatos da jornada de Goku através de muitos títulos lançados. Sendo alguns títulos exclusivos do Japão, os games de Dragon Ball somam mais de trinta jogos que exploram as mais variadas jogabilidades e interpretações da história principal. Um dos fatores mais relevantes nos games produzidos é a busca por manter uma jogabilidade que expresse ao máximo toda a energia vigorosa dos animes pelas lutas frenéticas e poderes especiais que cada personagem tem. Cada título tem como objetivo mergulhar o jogador no universo de Dragon Ball para reproduzir com fidelidade uma espécie de universo paralelo encontrado no anime que fascina jogadores e expectadores no mundo todo.

Para manter a popularidade do nome Dragon Ball Z em alta, a Bandai publica mais um jogo multiplataforma trazendo o melhor do gênero ação e do RPG alinhado com as tecnologias e mecânicas atuais que compõem um game equilibrado e divertido que vai recontar a história de Goku em nova perspectiva. Em Dragon Ball Z: Kakarot, os jogadores poderão esperar por todos os personagens mais queridos como Gohan, Chi Chi, Piccolo, Vegeta, Raditz entre outros sendo alguns deles jogáveis com o intuito de ampliar a experiência da campanha e de reinterpretar um enredo já contado inúmeras vezes.

A história do jogo da Bandai não é exatamente a mesma do anime, mas ainda guarda todo o espírito cativante da série que explora os elementos humanos que dão o tom da série e consequentemente do jogo.

Dragon Ball Z: Kakarot se inicia em um ponto menos obscuro que o anime original: após Goku ter treinado incansavelmente para a sua maior luta, ele encontra um momento de paz e tranquilidade como há muito tempo não tinha. Piccolo foi seu maior adversário e o guerreiro mais forte que já enfrentou na vida e essa batalha gerou em Goku um sentimento positivo de poder e superação. Decidido a manter esse espírito, Goku começa a pensar em como vai travar uma nova luta contra Piccolo com o objetivo de sentir as mesmas emoções de antes que o tornaram mais digno e experiente.

Enquanto essa batalha não acontece, o guerreio da Terra desfruta de um momento de paz e tranquilidade em sua casa juntamente com a esposa Chi Chi que desempenha um papel fundamental na vida de Goku. O companheirismo construído pelo casal rendeu a ambos um período de prosperidade e alegria e, durante esse tempo, Goku e Chi Chi foram abençoados com o nascimento de Gohan, primeiro filho do casal que representou toda uma nova era para a vida do guerreiro. Goku se dedica à criação do filho e deseja que o menino se torne um grande guerreiro assim como ele, mas Gohan mostra habilidades para outras atividades e interesses. Mesmo assim, Goku não se deixa decepcionar e oferece todo o carinho e proteção que a criança precisa em um mundo longe de conflitos.

Entretanto, nenhuma paz é duradoura em nenhum planeta da galáxia e um momento mais sombrio chega para pôr em xeque o ritmo de vida tranquilo que pairava sobre a família de Goku. Se a luta contra Piccolo foi uma injeção de adrenalina e uma grande experiência para ele, mas não sabia que uma ameaça maior viria para colocar a Terra em estado de perigo iminente. Isso porque os guerreiros Saiyajins percorrem o espaço conquistados outros planetas pela força e dominação e pretendem colocar o planeta água como próximo objetivo.

O guerreiro Raditz é enviado à Terra em busca de seu irmão Kakarot para que juntos eles consigam atingir a dominação total. Raditz encontra-se com Goku afirmando que ele é seu irmão Saiyajin, porém Goku não recebe bem a notícia e se auto afirma como terráqueo defendendo a família e amigos com uma forte conduta de honra e determinação. Goku enfrenta seu suposto irmão em uma batalha ainda mais difícil que a de Piccolo e acaba se unindo a ele para unir forças contra um mal que pretende consumir a Terra inteira atingindo todos os tipos de seres vivos. Piccolo e Goku vencem uma árdua luta conta Raditz, mas o preço pela luta é alto causando a morte de Goku afetando diretamente a vida de sua família, colocando as pessoas em situações delicadas e redefinindo os papéis a serem desempenhados em nome da salvação.

Antes de se destacar como um ótimo jogo de ação e RPG, Dragon Ball Z Kakarot entrega uma experiência brilhante em termos de narrativa ao inserir novos elementos e perspectivas em uma história já bem conhecida pelo público. Isso significa dizer que o enredo que envolve as esferas do dragão e todo um conjunto de personagens ganha uma nova vida a ser recontado de uma forma inédita. Mesmo assim, qualquer jogador poderá se sentir confortável em acompanhar a história visto que os acontecimentos são pensados para o jogo e não estabelecem uma ligação direta com o anime no que diz respeito à narrativa.

A jornada de Goku no game traz os principais elementos que dão o tom da série ao mesmo tempo que relata fatos novos que se adaptam à realidade do game trazendo uma experiência própria. Os outros elementos técnicos como gráficos e jogabilidade são executados com excelente qualidade e se alinham à proposta para proporcionar partidas intensas e divertidas enquanto o melhor da série Dragon Ball é trazido à tela.

Muitas das novidades presentes no jogo virão através da narrativa em momentos de forte emoção que são típicas do anime. Como exemplo, pode-se citar a redefinição dos papéis que ganham mais dramaticidade e impactam diretamente a forma como jogador aproveita o game. A passagem de Goku para o plano dos mortos e o treinamento de Gohan por Piccolo são momentos incisivos que levam a história a outros patamares e criam o ambiente adequado para que o enredo se pareça um novo episódio a ser exibido.

Representação fiel do anime

Dragon Ball Z Kakarot se destaca não somente pela forma como conta os eventos principais como também brilha em aspectos técnicos como visual e controles. De imediato, é possível reconhecer os mesmos padrões de arte, cores e criação de personagens trazidos direto do anime. As cores quentes, os ambientes abertos, as lutas frenéticas e os personagens carismáticos são mantidos em sua originalidade mantendo o visual asiático conhecido do público. Soma-se a isso a uma proposta gráfica voltada para vídeo games com melhor resolução em relação ao desenho além da forte presença do cel-shading, uma técnica de sombreamento que reforça os contornos em cor preta transmitindo uma percepção mais aguçada das formas e dos contrastes com o cenário de fundo.

Será possível se sentir dentro do próprio anime já que os ambientes e missões representam com precisão o universo Dragon Ball promovendo interações gratificantes em que o jogador se torna parte de tudo. Dessa forma, a experiência do game é quase como se fosse permitir a quem joga uma transferência a esse universo cujo fatores técnicos são as ferramentas disponibilizadas para um aproveitamento mais efetivo.

Ouro aspecto de destaque promovido pelo jogo é a intensidade e de emoções que a história apresenta conforme os personagens lidam com as situações de perigo e dominação da Terra. Em meio a uma ameaça trazida pelos guerreiros Saiyajins, Goku e seus amigos também vivem suas narrativas pessoais muitas vezes em tons dramáticos que intensificam a relação entre os personagens. Será difícil não se sentir próximo ou mesmo não se emocionar frente às questões humanas mostradas ao longo da campanha envolvendo a família, os valores humanos, o amor e muitos outros temas pertinentes aos terráqueos em oposição a outras espécies de outros planetas que consideram o planeta Terra inferior aos demais.

A própria relação familiar de Goku é uma verdadeira demonstração de afeto e exposição da natureza humana com aqueles que nos são próximos. Goku, Chi Chi e Gohan mostram-se como um exemplo de família saudável com forte conexão entre seus membros em que os papéis de pai, mãe e filho são bem delineados. Enquanto Goku é o pai que preza pela interação, pela vivência e experiência do filho no mundo, Chi Chi é mãe carinhosa e cuidadora que protege o filho dos perigos fazendo um bom equilíbrio com a postura de Goku. Gohan, como filho, recebe toda a orientação e os melhores valores da vida tendo tempo e espaço para se desenvolver como criança e futuro adulto. O game mostra através dessas relações como os valores de família sustentam as interações entre humanos e nenhuma ameaça ou perigo deve se impor contra isso fazendo com que os guerreiros da Terra se unam para manter a paz e a vida que julgam ser adequadas.

Neste sentido, um exemplo a ser citado é captura de Gohan pelos guerreiros Saiyajins afastando o jovem garoto de seu pai. A situação se agrava quando Gohan é abandonado e precisa sobreviver aos perigos de mundo que não conhece. Como uma reviravolta do destino, Piccolo, inimigo de Goku, assume, à sua própria maneira, a guarda do menino treinando-o para ser um lutador relevante para que quando a ameaça de Vegeta chegar, Gohan possa vingar a morte do pai. Esta ocasião reflete com precisão os valores humanos que são mostrados no anime e eleva a produção do desenho a um patamar pouco visto em outras obras. A todo momento, Dragon Ball Z investe na percepção das relações e no sentimentalismo exposto de múltiplas maneiras, desde os personagens mais “frios” (ou que não preferem mostrar seus sentimentos) até aqueles que são mais apegados e zelam pelas interações sociais.

É interessante notar como a relação entre dois personagens de núcleos diferentes é construída com base na necessidade de sobrevivência e na proximidade entre seres humanos fazendo com que Piccolo admita que Gohan foi seu melhor amigo antes de partir dessa vida. Com tantas interações e emoções sendo colocadas à prova durante o jogo, será uma tarefa fácil e agradável acompanhar a história que é tão intensa e interessante como no anime.

Técnicas aprimoradas

Os jogadores que optarem por jogar Dragon Ball Z Kakarot em qualquer uma das plataformas disponíveis encontrarão um game dinâmico, intenso, emotivo e muito divertido por conta das técnicas empregadas. Desde o visual típico do anime bem como o tema musical de abertura, tudo converge para que a experiência seja a melhor possível dentro do gênero proposto.

Quem aprecia o estilo ação e RPG não terá dificuldade em se adaptar ao modelo que o jogo usa para desenvolver a campanha e contar a história. O game pode ser considerado um híbrido entre o RPG e o gênero ação como acontece em outros títulos. Entretanto, Dragon Ball Z Kakarot consegue elevar a experiência trazendo novidades por conta da força do anime e principalmente dos momentos de interação da campanha que se divide em exploração e as famosas batalhas.

Do ponto de vista do Rolling Playing Game, a estrutura e as mecânicas utilizadas são as mais tradicionais e envolvem tanto o cumprimento das missões principais quanto a resolução de missões secundárias. O objetivo é aumentar o XP dos personagens para que se tornem mais fortes e poderosos à medida que o nível de dificuldade dos desafios também aumenta. Soma-se a esses fatores os diversos cenários do universo Dragon Ball, a compra e venda de itens, o preparo de receitas, a conversas com NPCs e uma série de outros aspectos típicos do RPG que estarão presentes durante a aventura da forma mais clássica e previsível possível. Longe de ser uma característica negativa, o jogo cumpre bem o papel de entregar uma campanha em que é necessário circular pelos diferentes pontos do mapa enfrentando inimigos que variam de nível ao mesmo tempo que outras questões são resolvidas como as vidas particulares dos personagens principais e os problemas de cidadãos que conseguem se colocar em perigo mesmo com uma ameaça maior vindo para a Terra.

Do ponto de vista da ação, destacam-se as batalhas contra os chefes de fase idênticas ao anime com lutas que esbanjam poderes especiais e de alta força. Mesmo sendo um momento de maior prática e trabalho com os botões do controle, a base do RPG continua presente e herda muitas mecânicas desse estilo de jogo como a recuperação de vida e a quantificação do desempenho do personagem e do jogador. Os fãs de ranqueamento de batalhas poderão se divertir tentando alcançar os melhores resultados nas lutas contra os grades chefes que são o maior desafio do jogo.

Neste sentido, a jogabilidade se mostra como um aspecto fundamental e brilhante na composição da experiência do game ao entregar comandos equilibrados e inteligentes que atuam a favor do jogador em nome de lutas divertidas e bem aproveitadas. Os jogadores não precisão se preocupar com a adaptação dos controles visto que são fornecidas diversas informações na tela sobre como proceder na execução além de diversos momentos em que será possível testar os comandos. O avanço da campanha acontece de modo gradual permitindo que haja um período de aprendizado e prática dos controles até a chegada de grandes lutas com dificuldades mais intensas. Além disso, toda a programação dos comandos funciona muito bem independente do contexto e mesmo as lutas podem ser enfrentadas sem grandes problemas apesar de parecem complexas de início.

Um dos maiores destaques da jogabilidade é a possibilidade de controlar outros personagens não limitando a experiência de jogo somente a Goku. Apesar de os controles serem os mesmos para todos os personagens, a história e as missões de cada um afetam a jogabilidade transmitindo a sensação de se estar na pele de um personagem em especial. A troca entre os protagonistas da série acontece com frequência e dá mais ritmo ao jogo que poderia ficar entediante caso o gênero fosse saturado ao máximo em sua concepção. No controle de diversas figuras importantes do universo Dragon Ball, são as lutas os momentos de mais diversão e fidelidade e que o estúdio consegue traduzir a essência desse anime popular.

Os comandos são precisos e equilibrados permitindo com que o jogador se sinta livre para atacar como deseja seja com o apertar repetitivo do botão de ataque físico ou acionando os poderes especiais, tudo funciona a favor da luta. Um recurso que colabora bastante para a efetividade dos embates é o conhecido Target Lock On que prende a mira diretamente nos oponentes deixando tempo e espaço aberto para pensar em estratégias de golpes e contra golpes. No caso de Dragon Ball Z Kakarot, esse aspecto da jogabilidade ganha ainda mais funcionalidade pelo fato de o jogador não precisar segurar o botão de mira para realizar os ataques. A mira já é fixada sendo possível explorar os atributos e força de cada personagem sem perder o inimigo de vista. Frente a essa possibilidade, as lutas contra chefe, por exemplo, assumem um tom mais intenso que simula as dinâmicas e a emoção do anime através dos controles. Vale destacar que na versão do Nintendo Switch, a jogabilidade ganha ainda mais destaque visto que os controles do consoles podem ser usados de forma individual em cada mão sendo os joysticks leves e pequenos permitindo mais mobilidade e organização no ritmo do apertar dos botões. Como um fator extra no que diz respeito aos comandos, soma-se o fato de que as lutas são aéreas, o que faz com que golpes com mais velocidade e investidas mais incisivas sejam uma constante aumentando a sensação de liberdade de escolha e representação da vivência do anime.

Assim como todos os fatores técnicos se alinham à proposta de representar com fidelidade a série animada, a parte sonora também cumpre bem o papel de imersão e entrega uma experiência sonora que parece ter sido feita para ser de um filme de Dragon Ball inspirado na série. Isso porque muitos temas musicais como a faixa de abertura bem como as vozes dubladas são dignas de uma grande produção e cabem com perfeição nesta versão recontada. O destaque vai para as vozes dos atores que o estúdio desenvolvedor disponibiliza tanto em japonês quanto em inglês procurando oferecer o máximo da autenticidade dos personagens que fizeram um enorme sucesso entre fãs de anime. É possível compreender a personalidade de cada personagem pelo tom de voz e pelo vocabulário utilizado já que o trabalho vocal imprime as características essenciais. Enquanto Gohan tem uma voz mais infantil e trêmula de insegurança, Goku transparece auto estima e determinação mostrando alguém sem medo de enfrentar perigos. Nappa e Vegeta possuem tons de voz mais graves e firmes que revelam seres superpoderosos e com aspecto de superioridade em relação aos demais. Dessa forma, mesmo os fãs mais dedicados e conhecedores da série saberão reconhecer a eficiência do trabalho proposto no game, o que garante uma experiência auditiva mais do que satisfatória fidelizando a grandeza que é Dragon Ball Z.

O jogo é dividido em quatro grandes sagas e representa a luta dos guerreiros humanos para salvar a Terra enfrentando diversas situações para alcançar a paz e uma vida de tranquilidade. Em termos de dificuldade, Dragon Ball Z Kakarot não abusa do jogador mesmo no nível normal prezando pela aventura e pela história sendo tudo alinhado à fidelidade do anime. Será necessário um pouco de paciência e costume com jogos de RPG para completar as missões já que o game apresenta uma estrutura muito tradicional que pode afastar jogadores mais casuais ou aqueles que buscam lutas rápidas e descompromissadas. Buscando entregar uma espécie de anime jogável, as partidas de Dragon Ball nos consoles exigem um acompanhamento da campanha como qualquer outro jogo de RPG, principalmente os asiáticos.

Entretanto, a dificuldade sofre alteração perceptível durante as lutas especialmente contra os chefes. A dinâmica do jogo passa a ficar mais agressiva com lutas sequenciais e trabalhosas sem que o jogador tenha a possibilidade de se recuperar ou comprar itens de cura a tempo. Muitos dos chefes não são abatidos com facilidade e voltam para uma revanche de imediato podendo ser com o mesmo personagem ou um outro dependendo do contexto da história. Vale ressaltar que nas lutas contra os chefes, o tempo de batalha é maior e é necessário que as técnicas e poderes especiais já sejam dominadas para que a vitória apareça. Uma grande vantagem é que a jogabilidade está a favor do jogador e impedirá que lutas sejam perdidas por falta do correto manuseio ou adaptação aos comandos.

Dragon Ball Z Kakarot pode e dever ser jogado por qualquer pessoa que aprecie um bom equilíbrio entre narrativa, ação e luta embutidos em um formato de RPG que tem por objetivo exaltar uma obra consolidada com um sucesso estrondoso. O jogo vai oferecer uma experiência inédita tanto para os fãs que conhecem a história e terão a oportunidade de ver uma outra versão, quanto para os novatos que conhecem pouco do animes, mas poderão se divertir e se emocionar com a jornada de Goku e seus amigos.

Manter a essência e o espírito do anime foi uma decisão acertada para a composição do game, pois traz à tona o que a série tem de melhor entregando desde valores de afetividade e família até os sentimentos e comportamentos mais humanos que fazem a Terra ser um planeta único na galáxia. Quem se aventurar na saga dos guerreiros humanos em busca da paz e de uma vida de felicidade, definitivamente será recompensado com uma história e com personagens cativantes que valerão cada minuto investido na campanha.

Vale a pena?

Buscado o máximo da fidelidade do anime, Dragon Ball Z Kakarot reinventa a série contando mais uma jornada da vida e Goku em nome da paz do planeta Terra. Emoções e dilemas serão expostos com muita emoção utilizando do gênero ação e RPG para transformar uma grande saga em uma aventura possível para o universo dos vídeo games. História, técnicas e personagens únicos compõem um game muito bem trabalhado e que vai agradar tantos os fãs das antigas quanto aqueles que querem conhecer a jornada de Goku pela primeira vez.

Nota 9,0

COMENTÁRIOS

Loading Facebook Comments ...