‘Saiba +’ – Conheça 10 curiosidades sobre o “Shyamalan-verse”

Postado em
Atualizado em

Categoria: Artigos, Filmes

Compartilhe:

De crimes hediondos a fraturas no set de gravações, conheça as principais curiosidades por trás da saga Corpo Fechado, Fragmentado e Vidro.

Encerrando a trilogia iniciada em 2000 com Corpo Fechado, Shyamalan nos apresentou um nova dinâmica envolvendo heróis e vilões incorporando personagens com profundidade, ambiguidade, de retratos dramáticos e críveis provocando uma afinidade com o espectador. Conhecido por outras obras como o famoso Sexto Sentido e Sinais, Shyamalan aproveitou do seu vasto conhecimento adquirido durantes 17 anos para dar vida ao longa Fragmentado (2017) concluindo sua trilogia em Vidro (2019).

Corpo Fechado estreou com uma proposta diferente para filmes de heróis com uma aproximação mais madura e séria, um mundo onde as histórias de quadrinhos de super heróis são baseadas em pessoas do mundo real. Com essa premissa, somos introduzidos ao protagonista David Dunn (Bruce Willis) que após ser o único sobrevivente de um acidente descobre seus poderes de protetor e vigilante ao mesmo tempo em que se depara com outro “ser especial” Elijah Price (Samuel L. Jackson), o enigmático e brilhante Mr. Glass. Ambos compartilham de uma dualidade entre grandes poderes e fraquezas. Um incrível filme de super heróis sem seguir o mesmo padrão de figuras caricatas e colãs.

Enquanto Corpo Fechado é voltado para ação e drama, Fragmentado (2017) abdica da continuidade para apresentar uma história singular e auto-suficiente se aproximando mais do suspense com uma trilha sonora tensa e uma pitada de terror psicológico onde o espectador é apresentado a uma nova leva de personagens como Casey Cooke (Anya Taylor‑Joy), uma adolescente anti social e marcada por traumas que acaba sendo vítima de um sequestro por Kevin Crumb (James McAvoy), que possui Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) o obrigando a conviver com com 23 personalidades dentro de si. O enredo gira em torno da relação entre as misteriosas personas de Kevin e suas interações com as sequestradas, em especial Casey. Uma trama claustrofóbica e desconcertante em alguns momentos proporcionada pela profundidade das personalidades brilhantemente interpretado pelo ator James McAvoy.

Se tratando do terceiro filme da série concebida inicialmente em 2000, Vidro fecha o ciclo que estabelece de vez os protagonistas e os eleva ao ápice. Vidro embora não funcione tão bem como uma obra independente como seus predecessores, tem uma proposta clara sobre como conduzir a narrativa evocando uma conclusão que pode ser considerada polêmica para alguns, satisfatória para outros. Se ambientando principalmente (cenas já exibidas no trailer) em um hospital psiquiátrico, Vidro por vezes tenta focar na desconstrução dos ícones imergindo o espectador a situações extremas desenvolvendo interações  entre o trio, aspecto tão esperado até então. A frente disso, temos a Dra. Ellie Staple (Sarah Paulson). E é com tais ingredientes que o tabuleiro se forma e as peças são desenvolvidas entregando uma obra com o selo Shyamalan de reviravoltas, e muita coragem.

 

Veja algumas curiosidades que reunimos sobre a trilogia:

 

  • Se inspirando em grandes diretores como Alfred Hitchcock e Stan Lee, M. Night Shyamalan também faz pequenas participações nos três longa-metragens, onde interpreta Jai. Em Corpo Fechado surge tentando entrar no estádio em que David trabalha e é revistado por apresentar comportamento estranho. Já em Fragmentado, ele é segurança do edifício da Dra. Fletcher e por último em Vidro, está procurando melhorar a segurança de seu prédio na loja de David, onde menciona explicitamente que o reconhece do estádio de futebol e que costumava andar com “pessoas ruins” na época.

 

Corpo Fechado (2000), Fragmentado (2017), Vidro (2019)

 

  • Shyamalan sempre foi um admirador de quadrinhos e super heróis e inclusive tentou vender os direitos de Corpo Fechado para a Disney na época, porém não teve sucesso. Essa paixão pode ser vista na direção de arte da obra, onde diversos ângulos de câmera e enquadramentos simulam histórias em quadrinhos.

 

O Vigilante em Corpo Fechado (2000)

 

  • Cada um dos 3 protagonistas possuem uma cor que representa sua personalidade e dá um ar mais caricato de histórias em quadrinhos envolvendo super-herois e vilões. Como por exemplo, o Sr. Vidro que é representado pela cor roxa, associada ao ego e realeza, “Elijah vê a si mesmo como alguém importante. O protagonista de uma história em quadrinhos” explica Shyamalan. O Vigilante é retratado pela verde, associado às propriedades da natureza e vida, sendo ele o “protetor da vida”. Por último, A Besta com a cor amarela que está relacionado a cerimônias religiosas hindus e budistas, “É a roupa de um monge. Eu vejo a Besta como um evangelista. Um padre que quer salvar aqueles que estão machucados”, explica o diretor.

 

Vidro (2019)

 

  • Elijah possui uma gigantesca inteligência, porém foi afetado pela doença Osteogenesis imperfecta que causa extrema fragilidade nos ossos, como ossos de vidro. Em todas as cenas onde Elijah aparece em Corpo Fechado sempre existe um elementos de vidro, seja uma tela de televisão, uma janela ou um reflexo no espelho. Esse recurso artístico volta a ser utilizado no final de Fragmentado e em inúmeras cenas de Vidro.

 

Cena de Corpo Fechado (2000)

 

  • Shyamalan havia gravado cenas extras em Corpo Fechado para utilizar no terceiro longa, pois já tinha intenção de escrever continuações, porém filmes de heróis não eram bem aceitos na época e a ideia foi engavetada, “Quando escrevi e, depois, realizei Corpo Fechado, dei-me conta de que tinha material para três filmes diferentes, e complementares.”.

 

Vidro (2019)

 

  • Sarah Paulson relata que, durante a icônica cena da entrevista que reúne os três principais personagens em cena, se sentiu extremamente desafiada por estar com atores com bagagens tão incríveis.

 

Cena de Vidro (2019)

 

  • O diretor conta que tinha intenção de apresentar Kevin Wendel Crumb logo no primeiro filme, mas acreditou ser complicado introduzir um personagem tão complexo e profundo como ele e o público poderia ficar confuso, porém em uma determinada cena do primeiro longa, pode-se ver por um breve momento uma mulher segurando a mão de uma criança que alguns fãs julgam ser, supostamente, Kevin e sua mãe no estádio onde David trabalhava em Corpo Fechado, pois quando David esbarra neles podem ser ouvidos gritos da criança.

 

Cena de Corpo Fechado (2000)

 

  • Apesar de Kevin não ser um personagem baseado em fatos, ele foi inspirado em um caso real de um homem chamado Billy Milligan que foi acusado de estupro. Suas múltiplas personalidades (24 para ser mais exato) foram utilizadas como argumento no tribunal para defender-se dos crimes que ele havia cometido.

 

Alan Goldsberry e Billy Milligan, 1984

  • O ator James McAvoy durantes as filmagens de Fragmentado quebrou sua mão ao desferir um sono fora da região macia de uma porta de ferro, porém não contou a ninguém sobre o incidente, e ficou dois dias com a mão quebrada antes de ir para o hospital. O curioso é que seu braço quebrado pode ser visto no longa Atômica (David Leitch), lançado em 2017.

James McAvoy em Atômica (2017)

 

  • A trilha sonora composta por West Dylan Thordson para o longa Fragmentado incorpora inúmeras faixas, dentre elas “Opening”, que ao fundo pode-se notar sons que se assemelham a um animal grunhido, fazendo assim uma relação com “A Besta”.

Vidro, o último filme da franquia está em cartaz nos cinemas

COMENTÁRIOS

Loading Facebook Comments ...
Very Traffic