Análise | ‘Ghost Recon Breakpoint’ é uma mescla de mecânicas da Ubi na ilha de Auroa

Postado em

Categoria: Games, PC, PS4, Review, XBOX ONE

Compartilhe:

Ghost Recon Breakpoint é o sucessor de Wildlands, já contamos nossa experiência na beta e agora com a versão final em mãos, você fica sabendo de tudo que achamos da grande aposta da Ubisoft em 2019.

Antes de tudo, vale a pena conhecer a trama que envolve todo este game de mundo aberto da Ubi que se passa na fictícia Auroa.

O chefe da facção é Cole D. Walker, o tenente-coronel vivido pelo ator Jon Bernthal (O Justiceiro e shaun em The Walking Dead), um antigo parceiro de Nomad, líder da atual unidade dos Ghosts. Nomad e seus companheiros são enviados em uma missão de reconhecimento, mas os helicópteros são abatidos. Feridos, sem suporte e alvos fáceis, os Ghosts entram em cena para ajudar os personagens na luta para sobreviver, derrotar os Wolves e recuperar o controle sobre Auroa.

Nova Mecânica

Breakpoint já chamou atenção desde seu anúncio, já que temos um ator gabaritado na pele do personagem Cole Walker, o game começa quando você tem seu helicóptero abatido por drones, ficando preso com sua equipe espalhada na região de Auroa, resta a você, descobrir tudo o que aconteceu e livrar o local das garras do tirano Walker, logo que inicia sua trajetória, você é apresentado a uma nova mecânica, em Breakpoint você deve sobreviver, com uma nova gama de movimentação, você deve ficar de olho no seu personagem pois, o desgaste físico pode pegar você desprevenido quando precisar utilizar 100% o seu foco em algum combate. Os gráficos foram remodelados, é claro o upgrade visual que o game recebeu em relação ao Wildlands, com a natureza muito mais realista e também personagens remodelados, a gama de personalização está presente tanto fisicamente quanto em seu equipamento, seja nas armas ou nos gadgets que você vai utilizar para dominar esse local rodeado de tecnologia, use o ambiente ao seu favor, seja realizando missões noturnas ou aprendendo a movimentação de seu inimigo. Já adiantamos que você vai gastar boas horas para liberar o mapa que está enorme e também a árvore de habilidades de seu personagem, os elementos de RPG estão presentes, mas não como em Division 2, onde a numeração de dano que importa, neste game, um tiro certeiro derruba o inimigo, independente do level ou do equipamento que esteja usando, manter suas ações nas sombras são indispensáveis, soldados normais são mais fáceis de abater, mas quando chega um grupo de Wolfs, aí o bicho literalmente pega e sair de uma situação dessa é bem complicada, você tem que aprender tudo que o jogo proporciona, seja para marcar as ameaças com seu drone, ou até mesmo pegar seus inimigos de surpresa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agora temos classes, onde cada uma delas, você tem uma habilidade específica, seja como um exército de um homem só ou até mesmo habilidades de longo alcance, como melhorar seu uso com a sniper. Durante sua aventura, você consegue desbloquear uma nova classe, cada uma delas possuem desafios e você sobe 10 níveis, cada um com sua recompensa e seu grau de dificuldade para alcançar. Vale destacar, pois neste jogo o clima de sobrevivência está em todas as partes, mas que não achamos muito importante aprofundar durante o jogo nesta parte das receitas, pois elas apenas aumentam por tempo limitado algumas opções do game, quando você está em momentos críticos, acaba até esquecendo esta possibilidade.

Mapa

Como citamos, Auroa é um local fictício e que nela temos a oportunidade de conhecer a neve, selva e locais mais desertos, todos eles estão com vida, já que ainda existem pessoas trabalhando no local, soldados, e é claro, os temidos Wolfs, recomendamos habilitar todos os locais de acampamentos possíveis, com eles você consegue fazer uma viagem rápida e poupar tempo, já que no meio do caminho de alguma missão pode dar de cara com algum grupo e levar mais tempo do que planejava para concluir.

Você libera diversas regiões do mapa explorando os locais, alguns deles você consegue estudando diversos documentos espalhados , você vai gastar muitas horas para liberar todas as missões secundárias e principalmente, os acessórios para suas armas são muitos e cada um está em uma ponta, quando você deixar o cursor no mapa em alguma região principal, consegue notar os itens que você vai liberar passando por lá, nessa parte a Ubi ajudou nos caçadores dos melhores equipamentos no game, mas uma hora pode ser tornar cansativo, mescle missões com a exploração para evitar fadiga durante sua exploração em Auroa.

Jogue sozinho ou com amigos

Os games da Ubisoft são ótimos para as duas ocasiões, tanto solo, coop ou até mesmo o multiplayer, você terá o serviço completo em Breakpoint, vale a pena explorar sozinho ou com amigos no coop para adquirir bons equipamentos antes de se arriscar no multi, o game proporciona horas de diversão, mas pode se tornar cansativo em certos momentos, a empresa já prometeu amigos com inteligência artificial em um futuro update, já que o intuito da série Ghost Recon, são de equipe, mesmo que controlada pela inteligência artificial, cada um com sua função para se dar bem na missão.

Quem jogou Wildlands, ficará bem familiarizado com o multiplayer de Breakpoint, a mecânica é muito parecida mas agora os gráficos e ações do personagem mudaram bastante, como comentamos no início do review.

Versão de PC

Vale lembrar que testamos apenas a versão de PC, procuramos deixar cravado os 60fps para evitar perda de qualidade e até alguns pequenos problemas que aconteceram devido ao mundo aberto, as vezes o jogo caiu abruptamente uns 14 fps que dava pra sentir, principalmente se você estivesse em algum confronto totalmente stealth, acompanhamos uma média de 3 updates desde o início da nossa campanha no game, tivemos sim uma melhora em relação ao primeiro dia do game e com todo o planejamento que a Ubi prometeu, teremos ótimas mudanças até o início de 2020, confira uma imagem com as especificações que optamos com nosso PC que está equipado com uma NVIDIA 1080, processador Intel i7 6950x e 32GB de RAM da HyperX.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futuros Updates

Vale a pena?

Se você já for fã de carteirinha de Ghost Recon, vale sim, Breakpoint é um shooter divertido e com boas mecânicas, mas existem algumas ressalvas, como exemplo o controle de veículos e alguns bugs presentes no jogo, a Ubi prometeu uma grande cobertura com updates em Breakpoint, vamos deixar a imagem veiculada para você conhecer todas as novidades quando lançadas, este é um game que utiliza de muitas fórmulas que já vemos em jogos da Ubi, por um lado é ruim, por outro você não têm tantas surpresas durante sua aventura em Auroa, parece que ele foi terminado de forma repentina para ser entregue na data, já que alguns dos updates mudarão bastante o game, a implementação de RPG neste título, manteve apenas como forma estética, senti falta de kits visuais com valores mais baixos, isso a Ubi prometeu arrumar o mercado do game, até o fechamento deste review, estamos no aguardo.

NOTA: 7,0

COMENTÁRIOS

Loading Facebook Comments ...
Very Traffic